ORNITORRINCO

LIXO ZERO – UM PROGRAMA DO GOVERNO BICHO PAPÃO

O programa que multa os porcos que jogam resíduos no chão, chegou à Copacabana, a famosa princesinha do lixo. Copa é bairro com maior concentração de xexelentos sem educação do Rio. Tanto é, que se o mundo acabasse por uma guerra nuclear e só sobrassem as baratas, como reza a lenda, Copa seria a capital mundial das cascudas, que poderiam zoar demais nas montanhas de cocô de cachorro ou montinhos de lixo e resto de comida nas calçadas. Esse Lixo de Programa Zero, digo, Programa Lixo Zero vai arrebentar a boca do balão em Copa depois de ter multado quase 500 pessoas em uma semana de funcionamento só no Centro da cidade.

Ok, já se sabe que limpar a sujeira dos nojentões que jogam lixo no lugar errado custa caro; aproximadamente R$ 600 milhões por ano. Se fosse possível reduzir em apenas 15% a quantidade de lixo, o dinheiro economizado seria suficiente para que o governo construísse 30 clínicas da família ou 22 creches ou 1.184 casas populares, pra abrigar pessoas mal educadas, nos dois sentidos possíveis da pouca educação.

Aí você, ansiozinho que lê meu texto, pode estar pensando, “que cara babaca e preconceituoso”.

Primeiro de tudo, se você tá lendo esse texto a real é que dificilmente vai morar em casa popular, e apesar de se achar por cima da carne seca, também joga resíduo no chão, e se não faz, algum amiguinho seu faz e você não fala nada. Se você é fumante, existe 90% de chance de você jogar sua guimba no chão. Mas guimba tá ok, né? Porque não suja, é microscópica e evapora quando entra em contato com o solo. E aí, a pergunta que eu faço pros fumantes que flagro fazendo isso é: você jogaria essa guimba no chão da sala da sua casa? E o cocô e o xixi do seu cachorro, poderia fazer no pé da sua cama? E esse chiclete jogaria no chão do seu banheiro? Pra sua informação, chiclete não vira asfalto. E gruda escrotamente na sola do pé quando o chão tá quente. Quem nunca pisou em um que atire o primeiro chiclete.

Acontece que educar e conscientizar dá trabalho e o resultado só vem bem depois da próxima eleição. Já punir é lucrativo pacas. E aí eu pergunto: você acha que o porcão que joga lixo no chão vai pensar, “Poxa, não vou jogar porque sujo a cidade, posso entupir bueiros, porque provoco gastos, dentre outros males que causarei para a linda manada de pessoas que estão interconectadas à mim nesta sociedade?”

Agora lança uma multa de R$157,00 na lata dele pra ver se ele não muda. Multa de R$157,00 para resíduos iguais ou menores ao tamanho de uma lata; maior que uma lata e menor que um metro cúbico R$392,00; e maior que um metro cúbico até R$3000,00. Lança essa multa nos cofres públicos pra ver como o sorriso não aumenta.

E aí é que tá o ponto, as coisas mudam, mas é só na casca. O cara que joga lixo no chão é sem noção. Ele deixa de jogar pelo medo da punição que dói no bolso e não por entender as consequências da xexelentisse dele. Existe uma ilusão de mudança, mas não conscientização, entendimento. A psicologia e a sociologia provam que caso não exista fiscalização, nem punição, o cara muito provavelmente vai voltar ao antigo comportamento.

Em 2012 foram recolhidas 1.225.690 toneladas de porqueira. Equivalente a três estádios do Maracanã de lixo. Ok, algo tem que ser feito. Mas é sempre na base da punição? Nunca na educação? Não que não existam campanhas, mas elas são esporádicas, sem criatividade e sem recorrência. Como uma que vi no metro do Rio esses dias. Um desenho muito escroto de um cara azul com um sorvete na testa dizendo: Quem joga no lixo no chão é zé mané!

“Eu é que não quero ser zé mané, eita! Vou parar de jogar lixo no chão!” Tá de sacanagem com a minha cara, né?

Poderia dar milhares exemplos da distorção que o medo da punição causa, mas o clássico é “coloca o cinto porque o guarda vai te multar.” Não é coloca o cinto porque se a gente bater você pode morrer ou ficar tetraplégico e tá fudido pra se locomover e viver de forma digna no Rio com essas calçadas esburacadas e sujas, ou melhor, um pouco menos sujas agora com o Lixo Zero. Quando não tem guarda, é muito comum a pessoa não usar o cinto.

As leis punitivas dos programas do governo, me lembram muito o que algumas mães dizem quando têm preguiça ou não têm intelecto e psicologia pra dar uma explicação razoável pra criança fazer o que ela pede. “Olha só, meu filho, não pode fazer isso porque senão o Bicho Papão vai te pegar.” Ou então, “Faz isso porque senão o Papai do Céu vai ficar zangado com você.” Essa é a mensagem subliminar que o governo passa com medidas do tipo Lixo Zero.

No final das contas, eu escrevi esse texto reclamando disso tudo, mas a conclusão que acabei de ter é que eu estou errado. Eles estão trabalhando sim em Educação. Educam as pessoas de forma infantil. E você seu porco, não joga mais sua guimba de cigarro no chão, porque senão o bicho papão vai te pegar…

E cobrar R$157,00 por isso.

Franco Fanti é roteirista, dramaturgo e colunista do ORNITORRINCO.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 04/09/2013 por em Franco Fanti.
%d blogueiros gostam disto: